Um consórcio de cinco organizações juvenis, liderado pela ECO-UNESCO, Educação ambiental e organização juvenil da Irlanda está lançando o segundo #YouthClimateJusticeChallenge, com os parceiros Gaisce-The President's Award, The No Name Club, Irish Girls Guides e Young Irish Film Makers. 

Desafio de Justiça Climática Juvenil visa encorajar e capacitar os jovens a assumir projetos de ação local sobre Justiça Climática e incluirá: uma série de workshops, uma semana de Ação Juvenil sobre Justiça Climática, o desenvolvimento de materiais de apoio e uma Pesquisa sobre o Clima Juvenil para angariar a opinião dos jovens mais amplamente sobre justiça climática e questões ambientais, incluindo barreiras e oportunidades para o envolvimento dos jovens. O projeto também sediará um evento para a COP26. 

Em 2020, 22,780 pessoas foram impactadas pelo Desafio Juvenil por Justiça Climática e mais de 380 pessoas aderiram à semana de ação. 

“Participar do Climate Justice Challenge realmente abriu nossos olhos para as questões ambientais que ocorrem diariamente em nossa sociedade. Isso nos fez perceber que nosso planeta é especial, e devemos fazer todo o possível para mantê-lo seguro '' - Participante da Brigada Feminina em 2020. 

Falando sobre o lançamento do projeto, a Diretora Nacional da ECO-UNESCO, Elaine Nevin, disse: 

“Estamos muito satisfeitos por liderar mais uma vez o Desafio de Justiça Climática Juvenil. Este é o segundo ano do projeto e este ano estamos trabalhando em colaboração com nossos parceiros; Irish Girl Guides, No Name Club, Gaisce e Young Irish Filmmakers. A mudança climática é uma das nossas questões ambientais mais urgentes e sabemos que os efeitos da mudança climática não são sentidos da mesma forma por todos. Na ECO-UNESCO, educamos, inspiramos e capacitamos os jovens a agir em questões ambientais e de sustentabilidade que os preocupam; este projeto ajuda a aumentar a conscientização sobre a justiça climática nos jovens, fornece-lhes as habilidades e os apoios de que precisam para agir e oportunidades de contato com os formuladores de políticas ”.

O CEO do No Name Club, Stephen Plunkett, disse:

“Tem sido uma grande experiência para todos os envolvidos, pois o No Name Club trabalhou em parceria com a ECO-UNESCO desenvolvendo um futuro melhor e mais brilhante enquanto aprendia lições do passado. Todos se divertiram muito e estamos todos muito animados, pois nos preparamos para continuar com o projeto deste ano ”.

A CEO da Irish Girls Guides, Claire Barkey disse:

“Estamos muito satisfeitos por fazer parte deste consórcio novamente, dando aos nossos membros a oportunidade de expressar suas opiniões sobre um assunto tão importante e pelo qual muitos de nossos membros são muito apaixonados! Estamos ansiosos para ver os projetos fantásticos que surgem como resultado deste programa de Justiça Climática e agradecemos ao DCEDIY por seu financiamento para viabilizar este trabalho. ”

Gaisce - A CEO do President's Award, Yvonne McKenna disse:

“Justiça climática e a busca por uma administração equitativa dos recursos do mundo não é apenas uma conversa urgente para todos nós, mas uma que precisa de mais atenção do que nunca. Gaisce tem o prazer de fazer a nossa parte no apoio ao Desafio de Justiça Climática Juvenil liderado pela ECO-UNESCO. O Desafio de Justiça Climática Juvenil permitirá que os jovens se envolvam ativamente, desenvolvam seus conhecimentos e habilidades e tomem medidas enquanto completam uma área de desafio de seu Prêmio Gaisce. Esta parceria está alinhada com nossa iniciativa Gaisce Glas, que incentiva os participantes da Gaisce a fazer a diferença em suas comunidades, bem como na sociedade em geral como cidadãos globais engajados e informados.

Gaisce - O Prêmio do Presidente tem o orgulho de entregar o Desafio de Justiça Climática Juvenil ao lado dos parceiros ECO-UNESCO, as Irish Girl Guides, Young Irish Filmmakers e o No Name Club ”, acrescentou ela.

Para saber mais sobre o Desafio de Justiça Climática Juvenil, você pode visitar www.ecounesco.ie ou canais de mídia social da ECO-UNESCO.

Este programa foi viabilizado com o apoio da Secretaria da Infância, Igualdade, Deficiência, Integração e Juventude por meio do Fundo Juvenil para a Justiça Climática.